ATENDIMENTO
+55 (27) 3325-2800
+55 (27) 99969-2484
HORÁRIO
2ª a 5ª: 08h às 18h
6ª: 08h às 17h
Sábado



FALE ACD !
 BLOG IMOBILIÁRIO


Blog da ACD IMÓVEIS com o objetivo de informar e interagir com dicas sobre negociação e mercado imobiliário.

Dicas para locação de imóvel

09/08/2017

 

12 dicas para locação de imóvel residencial e comercial: 

  • Antes de sair para as visitas , tenha em mente as necessidades da família em termos de espaço, distância do trabalho e da escola até a casa e segurança.
  • Procure por uma  imobiliária para auxiliá-lo.
  • procure saber sobre a imobliária, se tem boas referências de locação.
  • Dê preferência a casas mais novas, com menos de 10 anos de construção (a chance de problemas estruturais diminui consideravelmente).
  • Preste atenção a residências cujos proprietários dizem serem reformadas. Elas podem ter sido apenas “maquiadas”, ou seja, o sistema de elétrica e hidráulica permance e somente coisas menores, como pintura, piso e armários foram refeitos. 
  • Observe se há umidade dentro de armários e nos ambientes pequenos (isso pode significar que a impermeabilização não foi feita corretamente e você terá sérios problemas com mofo).
  • Para imóveis comerciais, procure localização de fácil acesso aos clientes.
  • Caso imóvel precise de reformas , faça proposta de desconto de aluguel.
  • Observe se no teto de cômodos que ficam abaixo de banheiros (quando é sobrado) e nas paredes onde as descargas de vasos são colocadas há infiltrações (algum cano pode estar furado). 
  • Verifique a posição da casa em relação às coordenadas geográficas, ou seja, os cômodos (em especial os quartos) devem pegar sol da manhã ou da tarde, portanto, devem ficar voltados para o leste ou o oeste. Há casas construídas no sentido norte-sul que são geladas tanto no verão como no inverno.
  • Visite a casa em diferentes horários do dia para ver a incidência de luz. 
  • Antes de assinar o contrato de locação, fotografe todos os defeitos que encontrar na casa e peça a um a vistoria a imóbiliaria para não haver alegação futura de que foi você quem causou os problemas.

 

 
Autor: Theandra Boone



Terreno de Marinha

24/07/2017

 

O Presidente do CRECI-ES, Aurélio Cápua Dallapícula, ministrou uma palestra sobre Laudêmio na última quinta-feira (13). O evento, realizado no auditório do CRECI-SP, possibilitou aos presentes o esclarecimento sobre o tema que ainda gera dúvidas no mercado imobiliário.

O Laudêmio, implementado ainda nos tempos coloniais, é uma taxa federal obrigatória, cobrada nas transações imobiliárias de compra e venda com escritura definitiva dos imóveis localizados em terrenos de Marinha ou área “aforada”. Os terrenos de Marinha compreendem toda a extensão localizada na zona litorânea, inclusive ilhas. O Brasil é o único país no mundo que cobra taxa nos terrenos de Marinha.

Durante o evento, o Presidente Aurélio comentou sobre a taxa nos terrenos de Marinha, as regiões em que o Laudêmio é mais aplicado no país, a diferença entre foro e taxa de ocupação, as propostas de emenda constitucional para a extinção da taxa de Marinha e outros assuntos que o Laudêmio abrange. A palestra completa e as dúvidas apresentadas pelos participantes você encontra aqui.

Uma das perguntas interessantes e resposdida pelo presidente foi : Para o financiamento de imóveis com Laudêmio, existe resistência por parte dos bancos. Por quê?

Por faltar na lei a definição adequada para os terrenos de marinha como direito real resolúvel, gera receio há vários bancos e cartórios. Poucos bancos financiam imóveis situados em áreas de marinha, principalmente em regime de ocupação, por quatro motivos:

  • Somente o terreno em ocupação não representa propriedade nem domínio útil, portanto, torna a operação sem qualquer garantia real ou com imóvel construído de valor inexpressivo em relação à garantida do financiamento.
  • A legislação é confusa e embaraçosa para especificar os imóveis como aptos ao registro, por não haver em nenhum local a menção de se tratar de direito real resolúvel.
  • Em imóveis aforados, o tomador não detém o domínio pleno, somente 83%, portanto, talvez insuficiente para a garantia da transação.
  • Falta menção na legislação vigente quanto aos terrenos de marinha serem de direito real resolúvel.

 

Fonte: CRECI/ES.

 

Autor: Aurélio Dallapícula




10 dicas para comprar e investir em imóveis.

08/05/2017

 

Seja para morar ou investir, os imóveis são as opções mais seguras e procuradas pelos brasileiros. “É uma garantia de que ninguém “roubará” seu dinheiro, sua propriedade”, esclarece Jeane Machado, superintendente de incorporação da ACS.

A executiva dá dicas para quem pretende adquirir um imóvel. Confira e fique por dentro de como comprar e investir.

1- Se antecipe: é preciso estar atento e procurar regiões que possam valorizar. “Procure estudar sobre imóveis e acompanhar os dados de mercado. Quem está por dentro do assunto tem mais chances de ver antes as melhores ofertas”, reforça Jeane.

2- Converse: bater papo com os vizinhos, amigos, corretores e quem mais gostar do assunto. Uma boa dica muitas vezes surge em uma conversa informal. O boca a boca é uma ótima forma de se fazer um bom negócio em algumas situações.

3- Conheça a região: a oportunidade apareceu. E agora? Saiba tudo sobre a localização: tem supermercado, teatro, bar, restaurante etc. no entorno? Fica próximo a rodovias? É mais urbano ou tranquilo? Descubra os benefícios e as partes críticas do bairro.

4- Defina o objetivo: é moradia ou investimento? Os critérios para a compra são diferentes dependendo do objetivo do comprador. “Depois de definido que é investimento, é preciso planejar o ganho de capital: vai revender ou alugar? Não pode demorar muito, porque aí corre-se o risco de já ter perdido dinheiro”, destaca a executiva.

5- Seja racional: comprar imóvel não é “conto de fadas”. Embora seja o sonho de toda família, a decisão precisa ser bem pensada e estudada.

6- De olho nos anúncios: procure ofertas de incorporadoras e construtoras. Normalmente, os imóveis na planta tem maior custo benefício, além das facilidades de pagamento.

7- Documentação: verifique todos os documentos antes de comprar um imóvel. “O processo de documentação às vezes é demorado. O comprador não quer esperar, deixa a euforia falar mais rápido, e pode cair em uma armadilha. É preciso checar item a item os documentos apresentados”, afirma Jeane.

8- Se informe: todos os documentos podem estar ok, mas as empresas envolvidas podem não ter um bom histórico. Por isso, peça referência e busque os melhores profissionais.

9- Outros investimentos: se depois de todos os passos acima, comprar um imóvel ainda não é a melhor opção, busque outras fontes de investimento, mas lembrando sempre que todos precisam ter onde morar.

10- Aproveite: se você pensou e executou as dicas acima, agora é hora de aproveitar: seja na nova moradia da família ou no novo bem adquirido. Sucesso!


Fonte:  https://www.crecies.gov.br/10-dicas-para-comprar-e-investir-em-imoveis/




Entrevista com o Presidente do CRECI-ES

30/03/2017

Dica: Cuidado com os falsos corretores de imóveis, veja como verificar na entrevista com o Sr. Presidente Aurélio C. Dallapícula (Creci/ES).

Autor: Theandra Boone




Dicas parar negociar imóvel em terreno de marinha

08/03/2017
O que você precisa saber ao negociar imóvel em terreno de marinha ?

Este assunto é dos mais complexos e nossa pretensão no blog Fale ACD Imóveis não é esgotar o tema e nem aprofundar questões jurídicas e sim chamar atenção sobre a característica que alguns imóveis possuem, que podem representar burocracia e custo excedentes numa negociação imobiliária.

Os terrenos de marinha normalmente ficam situados próximos ao mar, rios e lagoas.
Trata-se de uma regra muito antiga, da época da coroa portuguesa, que determinou que a partir de uma certa proximidade das marés seria cobrado uma compensação à União.

A maioria das pessoas já ouviu falar dos terrenos de marinha em Vitória ES e em outras cidades litorâneas do Brasil, mas desconhece as implicações relacionadas ao Laudêmio que deve ser pago a União em caso de venda onerosa de imóvel ou de transferência do seu domínio útil.  

Nos imóveis em terrreno marinha o laudêmio é de 5% sobre o valor do imóvel. Mas fica aqui um alerta: apesar da lei determinar que a obrigação de pagar o laudêmio é do vendedor na prática, é mais comum o ônus ficar para o comprador.  Por isto orientamos que seja feita combinação prévia via contrato sobre a quem caberá este pagamento. 

Além do que é cobrado na negociação do imóvel pela transferência de domínio existe o foro que é de 0,6% ao ano sobre o valor do imóvel. Nos caso de ocupação, que é quando o ocupante não possui o domínio do imóvel, o foro anual pode ser de 2% a 5%.    
Imóveis em Terrenos de Marinha podem ser financiados ?

Como boa parte das transações imobiliárias no Brasil envolve alguma modalidade de financiamento é importantíssimo verificar se o imóvel que estiver interessado em adquirir é hipotecável ou alienável pois se não for o financiamento não será possível. Os imóveis aforados são normalmente os que aceitam financiamento ou alienação fiduciária e o respectivo registro cartorário. 

Esperamos que nossas informações tenham sido úteis e recomendamos que sempre procurem um advogado especializado e corretores de imóveis em regularidade no Creci quando precisarem de orientações mais abrangentes a respeito deste tema. 
Fonte: SPU - Secretaria de Patrimônio da União Insight Imobiliário Jus Brasil
Autor: Hugo Gaspar



  • MERCADO IMOBILIÁRIO

  • Receba dicas e informações úteis sobre o mercado imobiliário.